Compare Produtos, Lojas e Preços
Negócios

Investimentos em turismo geram novos frutos no Vale do Tietê

Voltar

Os procedimentos para a abertura de uma empresa de Agência de Viagens ou  Agência de Viagens e Turismo  são os mesmos adotados para as empresas  em geral,  ou  seja, o interessado deverá providenciar o registro da empresa na Junta Comercial, na Secretaria da Fazenda, no NSS e na Prefeitura, nesta última onde devem ser pesquisadas exigências de localização.

Além disso, o empreendedor deve comunicar a abertura e providenciar registros nos seguintes órgãos: Embratur, Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (para obter crédito nas companhias aéreas), Sindtur (Sindicato das Empresas de Turismo), Abav (Associação Brasileira de Agências de Viagem), e International Air Travel Association - IATA (para ter acesso a passagens internacionais). 

Diversos levantamentos apontam o setor de turismo como um dos mais propícios ao crescimento dos pequenos empresários que souberem escolher de que maneira investir.

Os municípios paulistas de Santana do Parnaíba, Pirapora do Bom Jesus, Cabreúva, Itu, Salto e Porto Feliz - todos na região de Sorocaba, foram alvo de um levantamento que servirá como base para o desenvolvimento do Pólo Turístico do Vale Médio-Tietê, elaborado pelo Instituto de Desenvolvimento Regional (Inder) e Sebrae-SP.

Santana do Parnaíba, a 42km de distância de São Paulo e a 30 minutos de Itapevi, é quase tão velha quanto a capital (420 anos), cidadezinha que leva o nome de sua santa padroeira.

A idéia é aproveitar a vocação turística da região e sua importância histórica para incentivar ações que promovam o desenvolvimento econômico dos municípios. Paralelamente está sendo realizado um estudo em conjunto pela Faculdade de Tecnologia de Jaú e pela Cesp, para tentar tornar viável a navegação turística do Rio Tietê entre as cidades de Salto e Porto Feliz.

Espera-se que o poder público e a iniciativa privada sejam os investidores do projeto e invistam em ações que incrementem o turismo no Vale Médio-Tietê, com o objetivo de gerar emprego e renda. o turismo é um dos principais responsáveis pela geração de emprego e renda no país. O turismo é hoje a melhor fonte de receita do mundo.

Mesmo antes dos prefeitos sentarem para discutir a implementação do projeto, já começaram a surgir ações de incentivo ao turismo na região. Uma delas é um estudo que está sendo elaborado em conjunto pela Fatec (Faculdade de Tecnologia) de Jaú e pela Cesp para tentar viabilizar a navegação turística do rio Tietê entre as cidades de Salto e Porto Feliz. A outra é a Associação dos Proprietários Rurais, criada em Itu com o objetivo de alavancar produtos e negócios nas áreas do ecoturismo e turismo rural

O Rio Tietê não é o único fator de agregação dos seis municípios. O projeto de diagnóstico das pontencialidades do Vale Médio-Tietê revelou raízes históricas e culturais desenvolvidas ao longo da formação dessas cidades, como o movimento dos Bandeirantes e as Monções. Outra curiosidade  é a revolução provocada pela economia da cana-de-açúcar, que gerou a primeira cachaça de alambique, em Cabreúva. A cidade de Itu também foi importante para a industrialização da região, através da instalação da primeira fábrica movida a vapor do Estado de São Paulo, em 1860, a Fábrica de Tecidos São Luiz.

A cidade demonstra interesse em conservar a cidade para o investimento em projetos turísticos. Pretendem transformar num modelo de preservação e restauração de prédios e monumentos históricos. Para isso, foi assinado um convênio com a prefeitura de Ouro Preto, para a instalação do projeto Oficina-Escola de Artes e Ofícios do município mineiro em Santana do Parnaíba. O convênio prevê parceria na recuperação do casario, usando os mesmos critérios adotados em Ouro Preto, já que haverá assessoria dos técnicos da Oficina-Escola. Em Ouro Preto, o patrimônio histórico foi restaurado por estudantes e meninos de rua, que aprenderam as técnicas de construção utilizadas na época do Brasil Colônia e do Império.

Será desenvolvido um estudo de viabilidade econômica para a exploração turística do centro histórico de Santana do Parnaíba, estimulando a instalação de ateliês de artistas plásticos, oficinas de artesãos, antiquários, bares e restaurantes - nos moldes do que foi feito em várias estâncias históricas mineiras e no Pelourinho, em Salvador, por exemplo.

Turismo Religioso

O turismo religioso é outra grande fonte de renda da cidade. Neste ano, cerca de 3 mil fiéis acompanharam a procissão de Corpus Christi em Santana do Parnaíba. O tema da celebração deste ano, O Amor do Pai, serviu de inspiração para os 150 quadros desenhados nas ruas com serragem, pétalas de flores, tampinhas e papel aluminizado. A ornamentação de 3 quilômetros de ruas do centro histórico atraiu cerca de 28 mil visitantes, segundo o Departamento de Turismo da prefeitura. O trabalho, iniciado de madrugada, mobilizou cerca de 1,3 mil pessoas.

Os moradores passam a noite do dia 10 e a madrugada do dia 11 de junho "atapetando" as ruas com materiais diversos: cascas de ovos, pó de café, serragem, flores, tampas de garrafa, etc. Embalados pelo quentão oferecido pelo prefeito, só paravam quando o sino anunciasse a hora de sair a procissão. Pela primeira vez, a confecção dos tapetes não deve começar antes das 6h do dia 11. Segundo a Assessoria de Imprensa da secretaria, os moradores vão começar mais tarde, para que os turistas possam acompanhar os preparativos.

A montagem do tapete começou a ser feita na cidade em 1963. No entanto, somente nos últimos quatro anos alcançou a dimensão atual. Depois da passagem da multidão, as equipes de limpeza pública da prefeitura entraram em ação para recolher a areia e os outros materiais usados na montagem dos quadros. Para retirar as 150 toneladas de sobras do tapete foram usados ainda caminhões e um trator.

Para eles, a data significa uma celebração religiosa, em que se dedicam de corpo e alma a vestir as ruas com muitas flores e tapetes coloridos. Além do décor, as festas dessas cidades atraem turistas pelas procissões e comida divinas.

Outras atrações

O carnaval de rua e sua maior atração são os cabeções retratando os personagens do folclore. Pouco antes da meia-noite de sexta-feira, a pouca população acompanha até o portão do Cemitério uma procissão liderada pelos cabeções e populares fantasiados de fantasmas, caveiras e diabos, empunhando tochas e dançando uma espécie de samba rural.

Santana de Parnaíba cultiva a tradição da boa e pura pinga, muito procurada pelos consumidores e comerciantes. Os primeiros engenhos vêm desde a colonização do Brasil, tendo sido sua mão-de-obra composta de escravos. Com a evolução, esses engenhos foram substituídos por rodas d'água e, posteriormente, adaptados à moderna tecnologia. Muitos turistas vão conhecer e levar exemplares da cachaça produzida na região

Existe vários pesqueiros na região. Além da pesca esportiva, no esquema pega e solta, os que apresentam melhor infra estrutura oferecem restaurantes em geral com caprichada comida caseira, passeios a cavalo, trilhas ecológicas, piscina e campo de futebol. Existem poucos, mas bons e recomendáveis restaurantes, são simples, más interessantes e com comida caseira com qualidade.

Em tempos de crise a criatividade vem à tona para tocar empreendimentos. Os empreendedores devem usá-la para conseguir criar fontes de rendas em cidades que recebem turistas. Um agência de viagem da região está oferecendo traslado gratuito e exclusivo. Nos dias do embarque e desembarque, o cliente dispõe de uma van que irá levá-lo e buscá-lo no aeroporto, de acordo com seus horários. A idéia do traslado gratuito já existia antes da reviravolta do dólar, que prejudicou seriamente o segmento do turismo.

Agora mais do que nunca os empreendedores precisam inovar e investir para driblar uma situação de instabilidade que não tem previsão para acabar.
 

Reportagem: Ulisses Nunes Sodré

Voltar