Compare Produtos, Lojas e Preços
Negócios

O Hotel mais Caro do Mundo - Ago/03

Voltar

Investimentos hoteleiros são vistos no mundo todo, um crescimento que gera empregos, incentiva a economia e alavanca os negócios. Mas o Hotel Burj al Arab é um negócio á parte.

O hotel mais caro do mundo, o Burj al Arab, é a grande atração em Dubai. Parece um veleiro ancorado. Tem 321 metros de altura, levou quatro anos para ficar pronto e custou a ninharia de US$ 6 bilhões.

Situado 15 km ao Sul da cidade de Dubai, o hotel Burj Al Arab e o parque aquático Wild Wadi são parte de uma ilha artificial distante 280 metros da praia, à qual está ligada por uma via de acesso em curva. A construção começou em 1994, sobre pilares enterrados a até 40 metros abaixo do leito subaquático. Com 321 metros de altura, é mais alto que a da Torre Eiffel e apenas 60 metros menor que o edifício Empire State, de New York.

O prédio, em formato de um veleiro, compreende um heliponto no 28º andar e um restaurante panorâmico semi-suspenso no ar, tornando-se um ícone de referência na paisagem de Dubai.

A fachada que dá a forma ao veleiro foi produzida em tela dupla de fibra de vidro protegida com Teflon, sendo a primeira vez que tal tecnologia foi usada verticalmente dessa forma e nessa extensão em qualquer edifício do mundo. Mantém-se branca durante o dia e é usada para formar um arco-íris de mostradores iluminados à noite, "criando um brilhante prólogo para as maravilhas que esperam o hóspede em seu interior", como explicam os responsáveis pelo empreendimento.

Fica numa ilhazinha em Jumeira Beach, a praia dos milionários, ligado ao continente por uma ponte. Para entrar, só sendo hóspede ou com guia, a US$ 15 por cabeça. E o cliente escolhe: pode chegar de helicóptero ou de limusine Rolls-Royce Silver Seraph.

É um espetáculo. No hall, uma fonte de vários lances, dispostos como degraus, solta jatos d'água numa coreografia sincronizada, iluminada, à noite, por luzes coloridas. De cada lado, aquários altíssimos, com peixes de água salgada, fazem às vezes de parede.

Todo o hotel é um espanto. As fachadas brancas são compensadas pelo exuberante colorido interior. Dentro, o dourado domina. Nos mosaicos dos pisos e das paredes, nas largas molduras de quadros e de elevadores, nos metais, nos detalhes e nos objetos decorativos. E tudo o que brilha é banhado a ouro. Tapetes e carpetes feitos à mão são macios; os sofás, suntuosos. O luxo é evidente, avassalador.

 

Voltar