O Guardian Chega ao Oriente

Voltar

São 12:30 do dia 28 de setembro de 2000, quando lançamos as amarras do guardian no píer da Marina de Bali em Benta ao sul de Bali.O ufanismo e a alegria são os elementos constantes estampados nas fisionomias dos tripulantes do Guardian.

Foram 25 dias desde que zarpamos de Darwin, na Austrália,5 dias de travessia ate Kupang, em Timor, onde fizemos nossos papeis de entrada na Indonésia e de onde partimos para Bali,conhecendo as ilhas a leste da Indonésia: Flores, Sumba, Rinja, Komodo, Sumbawa e Lomboc.

Vulcões, templos, locais incrivelmente imaculados, ainda encerram em si a beleza exuberante de uma natureza tão diferenciada para nos ocidentais; pássaros de rara plumagem, pequenos camaleões que voam, os dragões de Komodo, macacos que comem mariscos e pescam, e toda uma gama de fantásticas e novas descobertas.

Uns pais que traz em seu bojo mais de mil diferentes dialetos que contudo tem o idioma indonesiano como elemento de integração nacional, dando ao visitante uma aura de simpatia e de sorriso imediato.

O homem é feliz, mesmo carecendo de aspectos básicos,todavia o vivenciar, o estarem envolvido por este fantástico ambiente o torna um ser extraordinário agradecendo a seus deuses diariamente em simples cerimônias toda esta grandiosa dádiva.Isto desde o mais simples pescador ou camponês ao comerciante mais abastado.

Ventos brandos águas luxuriantemente belas e calmas dão a tonica nesta nossa passagem ate Bali,um ambiente tropical que obviamente nos leva a lembrança de nosso nordeste e mais a nossa sempre querida e saudosa Maceió. A latitude é a mesma, 09*Sul, só que do outro lado do mundo.

 
Ventos brandos águas luxuriantemente belas e calmas dão a tonica nesta nossa passagem ate Bali,um ambiente tropical que obviamente nos leva a lembrança de nosso nordeste e mais a nossa sempre querida e saudosa Maceió. A latitude é a mesma, 09*Sul, só que do outro lado do mundo.

Bali é notável e nestas primeiras 48 horas ficamos estáticos frente a tanta beleza para nossos olhos. Não só como navegante,mas sobretudo, para a visão do velho arquiteto estudioso das artes.Diríamos,ou melhor, afirmaríamos sem receios de erro, que em Bali,encontramos uma das mais belas expressões da arquitetura, desde uma humilde residência na periferia da cidade aos templos, pousadas, edifícios públicos e hotéis, tudo de esmerado bom gosto e com a utilização harmoniosa de diferentes materiais que produzem uma fantástica massagem de prazer na menina de nossos olhos.

Mistérios, lendas e costumes totalmente diferenciados dos nossos, a partir de agora estarão sendo e fazendo parte do cotidiano da tripulação do Guardian de seus parceiros de jornada,a SOCOCO, o JORNAL DO BRASIL ONLINE,e a ARACAJU WEB DESIGN.

Estaremos de agora em diante levando aos amigos da REVISTA TURISMO,uma amostra do que é e encerra Bali,uma das mais extraordinárias destinações turísticas do oriente e coma vantagem dos custos serem os melhores possíveis a ponto de uma pousada classe A,custar cerca de US$25/dia com todas as refeições incluídas.

Estamos também convidando os amigos e leitores da REVISTA TURISMO,a  visitarem o site da Editora ROTA do CHA,que passa a partir de agora a publicar, com exclusividade, na forma tradicional e também na formatação virtual todos os livros da serie Guardian. 

Continuaremos sempre a disposição para informações sobre o turismo no local que estivermos,assim como detalhes sobre nosso cruzeiro, no e-mail guardianboat@hotmail.com e aproveitem um pouco de Bali com as imagens em pauta.

Um forte abraço saudoso a todos, do Guardian e da FAMILIA SOMBRA

João Sombra 
Diretamente do Guardian na Marina de Bali com exclusividade para a REVISTA TURISMO.

Um forte abraço 

Reportagem : João de Albuquerque (O Sombra)

João Francisco Sombra de Albuquerque (O Sombra) viaja com sua família pelo mundo a bordo do veleiro Guardian. Mensalmente ele escreve matérias de suas aventuras para a Revista Turismo. Acompanhe sua Saga!