Capítulo VI - A Burocracia no Cruzeiro

Voltar

Bem, ai não tem jeito Xará, agora e' voltar para trás, regredir e encarar o "sistema", o negocio e' sempre feito para complicar, como sempre e na grande maioria dos países.

Em alguns locais a simpatia pelo Brasil, ajuda muito, em outros, os grandes países, como somos sul-americanos, tem o ranço, porem tem que agüentar e como e' pouco tempo, este e' o imposto que pagamos.

Em todos os países, quando você chega de veleiro, tem que fazer a papelada de entrada, apresentar passaporte da tripulação, minha documentação e ainda a Quarentena.

As normas variam muito pouco de um país para o outro. Nos Estados Unidos, bem, eles são os donos do mundo, eu como nasci lá conheço ate demais e posso falar a vontade. O negocio e' complicado e sempre para os veleiros, que eles acham ser do terceiro mundo.

E' uma trabalheira, complicação terrível. O customs mal educado, grosseiro, etc...Nossa experiência no Hawaii foi a pior possível, ate comando tipo"Rambo", tive em minha cabine!!!!!!!

A gente vai agüentando, porque afinal, estamos dando a volta ao mundo e eles recalcados, cheios de complexos e invejas. O negocio e' ter paciência e suportar!!!!!

Há países, no entanto, como a Nova Zelândia, que tudo e' feito em 15 minutos, com direito a um farto sorriso e os funcionários amáveis e atenciosos ao final ainda dizem; 

Sejam bem-vindos a Nova Zelândia!!!!!! 

Legal, né??????

A burocracia e' dividida em 3 partes:

A primeira e' o customs, que checa passaporte, se esta' em dia, com validade superior a 6 meses, com o visto para entrar no país em ordem, etc..
A documentação completa do veleiro, registro e propriedade, tipo e especificações, ultimo porto, etc....

Você já deve estar com tudo preparado, em pasta própria, para facilitar este trabalho, nada de procurar documentação na hora, pois se tal acontecer, eles ficam terrivelmente contrariados e vão procurar um jeito de atrapalhar, em qualquer e mínima coisa.

Nos temos um pequeno baú de plástico, onde estão todos os meus documentos, em pastas próprias e os documentos de todos os países que já estivemos, entrada, saída, etc... (Se lembra das duas palavras, PLANEJAMENTO e ORGANIZAÇÃO)

A segunda etapa e' a imigração, preenchimento de formulário de entrada no país, exatamente igual como se estivéssemos entrando de avião em outro país. O que se pode e não pode fazer no país, folhetos explicativos etc... Em alguns países este serviço também e' feito pelo customs.

Finalmente a terceira etapa e ultima, a Quarentena, que checa os alimentos e o que pode estar contaminado.

O que normalmente fazemos e' ajudar o trabalho da Quarentena a fazer seu serviço mais rápido, ou seja, não ter na entrada de países, alimentos perecíveis e usar mais enlatados e conservas.

O que já aprendemos, no entanto, e' que o Inspetor da Quarentena não gosta de sair de mãos abanando, assim, temos sempre uns dentes de alho, cebolas e alguns ovos, para satisfazer a sua vontade.

Tudo será facilitado, se estivermos com tudo preparado e organizado para enfrentar a burocracia. E assim, nos vemos liberados mais rapidamente.

Como disse, há alguns países que adoram os Brasucas, Fiji, Tonga, Vanuatu, e Salomão, ai e' festa e amizade, alegria pura.

Este pessoal da Melanésia adora brasileiros e como raramente eles aparecem por lá, quando ocorre e' festa e da melhor. Nestes países e' uma honra ser brasileiro, e' ser irmão do peitaco!!!!!!!!

Viu só Xará, tem gente que gosta de nos!!!!!

Ai então e' tudo feito na maior rapidez, para se curtir a cerveja e o papo. E olha que e' conversa para não acabar mais!!!!!

No meu livro O GUARDIAN NA MELANESIA, você ira ter uma idéia melhor do que e' ser fã do Brasil!!!!!!

Ate hoje, problema serio, só tivemos com o customs americano, no Hawaii e depois soubemos que lá e' assim mesmo, terrível, discriminatório, etc... e logo no Hawaii, pode??????

O Brasil não tem acordo com os Estados Unidos para entrada de embarcações de esporte e recreio em águas americanas, assim em tudo quanto e' porto tome burocracia em cima. Pagamentos de taxas, etc.. E neste etc... Xará, e' que a coisa pega!!!!!!!!!!!

O João teve um dia que se arretou, ficou mais brabo que "siri na lata " e resolveu dar uma de maluco, que iria criar um incidente internacional, convocar imprensa, CNN, BBC etc, bla, bla, bla....

Daí o negocio ficou mais calmo, o medo de escândalos, mudou rapidinho o comportamento, da água para o vinho. O customs sabia que estava enrolando propositadamente, por sermos brasileiros e que o caldo ia derramar e foi um tal de:

-Calma Mister!!!!!!
-Tudo se resolve!!!!!!
-Não precisa se exaltar!!!!!!
-Vamos esquecer isto de incidente internacional, imprensa, etc...!!!!!!!!

Lógico, no país que tem a palavra máxima "LIBERTY", para eles, claro!
Fiquei passado de vergonha, não sabia nem onde enfiar a proa!!!!!!!! Afinal nasci lá né!!!!!!!!

Mas hoje sou Brasuca da Silva, com carteira de Identidade e tudo, valeu esta hein Xará!!!!!!!!

Ah!!! Sim, já ia falar sobre isto, Xará, valeu a lembrança.

O passaporte se vencer na viagem??????

Tem que fazer outro. E de lei e, com no mínimo seis meses antes da data de expirar!!!!

Mais nem se incomode quanto a isto, e' o negocio mais fácil e rápido. 

Neste ponto, o pessoal do Itamaraty da show de bola. E' gente padrão mil!!!!!!! Prestativos, educados, atenciosos, simpáticos e de uma paciência que você ira' ate se surpreender, para os padrões que você esta' acostumado ai.

A moçada do Itamaraty, não tem nada de funcionário publico, que se pensa logo ser um burocrata, parasita, o que e' um ledo engano!!!!!! Tem muito funcionário publico, a grande maioria, que da' aulas de boas maneiras como e' o caso de alguns Consulados e Embaixadas do Brasil no Exterior e os funcionários da Caixa Econômica Federal, claro né' Xará, o João e' de lá e tenho que dar uma enchida na bolinha dos colegas dele. 

Ué!!!!!!! Você não sabia disto??????
Xará, a moçada e' o próprio embaixador, cheia de atenções!!!!!!

Não to puxando o saco não Xará, to falando a verdade, vou ate te contar um lance a respeito, como a galera diz, "verídico".

O meu seguro era feito antes nos Estados Unidos, daí venceu, e seguro não abro mão, nem eu nem o João!!!!!!! Hi, até rimou, viu só!!!!!!

Pois e', com rima ou sem rima, estamos todos muito atentos nisto. E' um papo que não gosto muito de conversar, mas não tem jeito.

Como estava falando, o seguro venceu, estávamos em Mooloolaba, na Austrália, isto você tá ate careca de saber e, no tempo de fazer um seguro novo. A Cia Seguradora, exigiu meu Registro Provisório, pois não fazem mais seguros de embarcações americanas, que esta havendo muita armação e vão logo para a justiça, e' cada preju daqueles.

A empresa era Australiana/Inglesa, e já levou cada armação daquelas!!!!!! Historias de deixar os cabelos em pé ate de político brasileiro, daí você tem uma idéia!!!!!!!!

Como meu registro era americano, o João achou que já era a hora de ser registrado no Brasil. Consultou a Dona Beatriz, na Embaixada do Brasil na Austrália, que foi logo dando todas as coordenadas:

-João, você tem que registrar o GUARDIAN na área de jurisdição, consulado ou embaixada, onde comprou seu amigo!!!!!! 

Ta vendo, não te disse que o pessoal e' gente fina!!!!!
Já me chamaram ate de amigo!!!!!!!!

Também, quando entra o nome BEATRIZ, tudo pro João fica moleza, e' o nome da Mamãe dele, que esta' colada com a gente e não abre, dando sempre aquela forca lá de cima!!!!!!

Bem, eu fui comprado na Califórnia, área de jurisdição do Consulado do Brasil em Los Angeles, já tínhamos renovado os passaportes lá, serviço rápido e eficiente, estava tudo em casa!!!!!!!!

Enviamos email para eles. E' Xará, via computador, nada de cartas e telefonemas, o negocio e' rápido e eficiente, não te falei!!!!!

O Serviço de atendimento ao brasileiros no exterior recebeu nosso pedido e, rapidamente enviou a resposta com formulários a serem preenchidos, documentos necessários, etc...

Você nem vai acreditar, remetemos tudo via email e o responsável por este Serviço lá em Los Angeles, e' o Emilio Raro. Não goza não Xará, que o nome do João e' Sombra!!!!!!

O Emilio e' mesmo uma raridade!!!!!!

Só sei que a dobradinha Sombra e Raro, funcionou redondo!!!!!

O Emilio resolveu tudo rapidinho, a Consulesa, Embaixatriz Ana Maria Azevedo, assinou tudinho e recebemos nosso REGISTRO PROVISÓRIO, este que você viu ai no inicio de nosso papo.

Daí ficou tudo resolvido, sou Brasuca da Silva, com Carteira de Identidade e tudo!!!!!

E o meu Seguro feito sem problemas!!!!!!!!

Ta' vendo Xará, não te disse que a moçada do Itamaraty e' profissional!!!!!!

O João gostou tanto do atendimento, que enviou o meu livro, O GUARDIAN VELEJANDO O PACIFICO, para o Emilio Raro, com uma rara dedicatória!!!!!!! Legal né!!!!!!

A burocracia e' chata mas quando você encontra gente fina, interessada em te ajudar, ai o negocio muda de figura e passa a ser amizade. E ainda tem mais, fica todo mundo na sua torcida, aquele lance de "bons ventos", "mar tranqüilo", "votos de sucesso", etc... 

E como e' jóia encontrar a Brasucada. E' injeção de alegria e saudade na veia!!!!!!

Sim, detalhe, há vários países que você tem que fazer o visto antes de chegar lá, daí vai a Embaixada ou Consulado do país que você ira' , onde você se encontra e faz isto.

Quais os documentos necessários??????

Xará, e' moleza!!!!!

Passaporte válido.
2 fotos de passaporte, aquela colorida, de fundo branco, que a gente sai sempre com cara de assustado!!!!! 
Prova de rendimentos, ou seja, que você tem como viver com seus próprios recursos no país que esta' solicitando o visto.
A documentação completa do veleiro.
Preenchimento de formulário próprio. (Normalmente, para veleiros de cruzeiro o negocio e' fácil e rapidinho)
Pagamento da taxa correspondente.

Há países que não há necessidade de visto antecipado, exemplo:
Ilhas Cook, Niue, Reino de Tonga, Fiji, Nova Caledônia, Vanuatu, Ilhas Salomão e Papua Nova Guine.

Na Polinésia Francesa o negocio e' mais complicado ainda, alem de fazer o visto antecipado, ainda tem que quando chegar lá, fazer um deposito compulsório, que e' restituído quando da partida, no valor correspondente ao bilhete aéreo, Tahiti/Brasil. (Na época que estivemos lá era cerca de US$1500,por pessoa)

Ai você tem que se cocar e, 1500 dólares por pessoa no veleiro, e' uma paulada na moleira. E a Polinésia Francesa, Xará, pais sob a tutela da Franca, melhor dizendo, colônia, e' tudo pelos olhos da cara, a vida e' caríssima, você tem que estar com as finanças muito bem planejadas.

Só para te dar uma idéia, uma latinha de cerveja custa US$6.00!!!!!!!

Mas isto e' só na Polinésia Francesa, de resto e' tranqüilo e você vai levando fácil, afinal uma hora, para quem tem o tempo todo pela frente e não e' sempre, a paciência faz o seu trabalho direitinho!!!!!

Existem vários veleiros que tem animais a bordo, gato, cachorro, papagaio e outros, ai o negocio pode complicar, tem que se pagar taxas extras, quarentena, em alguns locais, exigem ate documentação especial de origem e propriedade.

Como não temos animais em cima de mim, quer dizer eu acho né,( nem deixa o João escutar esta Xará!!!!) não estou muito por dentro do assunto. Entretanto, na convivência com a família cruzeirista, você fica sabendo facilmente dos detalhes.

Agora um aviso muito importante, tem uma galera que gosta de andar com "baseado", este lance e' "rabo de foguete"e pra Marte ,se pegarem da' uma "cana" de acabar o cruzeiro!!!!!! 

Bem Xará, como ninguém e' chegado a uma burocracia, nem eu, nem minha galera e você também, vamos terminando por aqui com ela. Se você tiver alguma duvida, questão, coisa "atípica" ,como se diz, bate um papo com o João, que ele te põe por dentro, te da' o mapa da mina. Se ele não souber fará uma pesquisa sobre a sua questão e te da' um retorno.

Reportagem : João de Albuquerque (O Sombra)

João Francisco Sombra de Albuquerque (O Sombra) viaja com sua família pelo mundo a bordo do veleiro Guardian. Mensalmente ele escreve matérias de suas aventuras para a Revista Turismo. Acompanhe sua Saga!