Como viabilizar melhorias no mercado turístico brasileiro

Voltar

Sem sombras de dúvidas, o Turismo é uma das atividades econômicas mais promissoras para o novo milênio. Empreendedores nacionais e estrangeiros, os diversos setores da economia que estão envolvidos com a área de Eventos, Lazer e Turismo, as entidades representativas (EMBRATUR, ABAV, ABIH, etc.), além das instituições governamentais, já perceberam essa realidade. Da mesma forma, perceberam também, que muitas ações podem e devem ser feitas para melhorar o mercado do Turismo no Brasil. Quais são elas?

Com as riquezas naturais e a variedade cultural existente no Brasil, encontramos grandes facilitadores para atrair turistas, tanto para o lazer como para os negócios. Porém, precisamos oferecer mais do que isso. Desenvolver núcleos de turismo (entenda-se como núcleos de turismo a diversidade abrangente desde a pequena Associação das Mulheres Artesãs do Nordeste até o pólo do Turismo de Negócios que se desenvolve em Campinas/SP, passando pelas manifestações religiosas, de lazer, econômicas, ecológica, de aventura, etc.) que possam agregar as características e costumes locais de uma maneira profissional, fazendo com que a própria população possa tomar parte desse processo é muito positivo. Mas, aonde podemos fazer isso?

Nas escolas, cursos técnicos e profissionalizantes, universidades, agremiações, entidades, enfim, é um processo do cotidiano que visa, não só, a dar conceitos e ferramentas para as atividades do Turismo, como também, vivência de cidadania, com total aplicabilidade na recepção dos turistas e para sua própria vida. Nem precisamos salientar que a união de instituições dos Governos Municipal, Estadual e Federal, investidores privados e a própria sociedade fazem parte desse esforço para desenvolver tais núcleos.

Tentando viabilizar melhorias, devemos verificar junto aos turistas as falhas e carências que eles encontraram nas suas viagens pelo país. Pois bem, dados estatísticos mostram que, para não nos prolongarmos muito, os turistas sentem falta de sinalização e segurança (nessa ordem!). A sinalização visual é fundamental. Desde as orientações de ruas, bairros, pontos turísticos, locais de eventos, até as instruções em aeroportos, hotéis e quartos (como ligar para a recepção?!). Os famosos postos (as vezes pontos) de informações (i) são de vital importância. Da mesma forma, a imagem da insegurança que temos, tanto dentro como fora do país, é um fator prejudicial para o Turismo do Brasil. Nesse caso, ações governamentais e de entidades afins não serão apenas para os turistas. Precisamos ter uma política de segurança que possa atingir toda a sociedade do país.

Finalizando, a política do "receba bem o turista" não deve ser esquecida. Tratar bem os turistas faz com que eles voltem e, principalmente, divulguem positivamente o nosso país. E tratar bem, não significa apenas ensinar a localização correta de uma rua ou ceder a vez na luneta do Pão de Açucar. É ser profissional e estar atento as atribuições das atividades turísticas. Entender e praticar a atitude de servir e lidar com as pessoas com cortesia, agilidade e correção. Aplicar preços justos aos serviços prestados e oferecer momentos e situações agradáveis aos visitantes. São regras importantes e que devem ser cumpridas.

Percebemos que todos os envolvidos, governos, empresários, entidades representativas, trabalhadores, a população, enfim, a Sociedade como um todo, têm uma extensa área para trabalhar e viabilizar as melhorias no mercado turístico brasileiro, mas, o resultado é gratificante e promissor.

Autor: Iriberti Argenton dos Santos

Voltar