Turismo em São José dos Campos - Abr/03

Voltar

Uma das principais e louváveis atitudes da Prefeitura Municipal no turismo local foi inaugurar um Centro de Informações Turísticas no bonito e histórico prédio que abrigava a Câmara Municipal na Praça Afonso Pena.
São José dos Campos revive um momento de profunda transformação. A cidade cresceu, o número de suítes nos hotéis triplicou, temos um aeroporto com vôos para as principais capitais do país, o setor de serviços já supera em número de empregos o setor industrial, temos um anel viário como as grandes metrópoles, temos a maior exportadora do país que exporta aviões para os cinco continentes e somos hoje, a maior arrecadação de ICMS do Estado de São Paulo depois apenas da capital. São José possui localização estratégica e privilegiada, situada entre os maiores centros de produção e consumo nacionais - Rio de Janeiro e São Paulo - e ainda próxima da Serra da Mantiqueira e Litoral Norte. Segundo a ONU, somos a 25º cidade em qualidade de vida sendo que mais de 60% do território do município é Área de Proteção Ambiental.

Temos a grande vantagem da vocação do turismo de negócios que traz maior valor de investimentos para a cidade do que o clássico turismo de lazer. Segundo a Embratur, o turista que viaja à negócios gasta diariamente o dobro do turista que viaja a lazer, cerca de U$ 150,00. Isto acontece porque a trabalho o turista não mede muito seus gastos, ou seja, não é ele propriamente que desembolsa pelos serviços. Isto é maior circulação de moeda em nossa cidade promovida pela indústria limpa e silenciosa do turismo. O chavão de que o turismo é bom para a cidade quando é bom para quem mora nela é também uma realidade em São José dos Campos. A atividade é quase desapercebida, porém de imensurável valia para o município. É composta de 52 segmentos da economia e cada dólar investido no setor resulta em seis de retorno. No entanto, o setor carece de um plano estratégico único para sinergizar as ações porque projetos isolados acabam enfraquecendo o poder global da indústria turística. Pode ser ainda que não responda com a velocidade mercadológica esperada em todos seus anseios, pelo simples fato de a cadeia não possuir um grande monopólio e sim, ser de um setor de vários segmentos democraticamente distribuídos, do pipoqueiro ao hoteleiro.

São José mais uma vez sai ganhando porque figura dentro do índice da OMT (Organização Mundial de Turismo). Segundo ela a participação do turismo planejado e de retorno e satisfação para a cidade é o índice entre 1 turista para cada 50 habitantes até 3 turistas para cada 50 habitantes. Lutamos pelo desafio de transformar a cidade-dormitório na cidade acolhedora e charmosa sabendo que somos atraentes o suficiente para que o turista de negócios alie dias de trabalho ao lazer.

Se os dados apontam para uma oportunidade, representam também um desafio. O turista já se faz presente em nossa cidade, só falta convencê-los a passar o final de semana na cidade, para que tragam a família e aproveitem tudo o que a cidade tem a oferecer: gastronomia de qualidade, bons shoppings, vida noturna agitada, rede hoteleira de alto nível, parques, a pérola do distrito de São Francisco Xavier, opções de lazer e entretenimento. Como se não bastasse, temos ainda, uma localização privilegiada que, num raio de menos
de duzentos quilômetros, une todas as modalidades de turismo como o praiano, o de montanha, o religioso, o cultural, o histórico e o de aventura. E mais, chamar a atenção do turista comum custaria muito mais ao município e seria menos eficiente do que focar os esforços em quem já está aqui. A cidade acolhedora hospeda, recepciona e irradia negócios na região. O turismo como destino isolado não acontece. Integrado e organizado funciona. Desde que conte com o envolvimento da comunidade local como de toda a região, altiva e confiante que podemos oferecer mais e melhor.

São José dos Campos tem visão na vanguarda dos acontecimentos. Desenvolvendo mapas turísticos, material promocional, postais, vídeo e convidando a todos estabelecimentos comerciais a deixarem seus produtos e serviços para a promoção e disponibilização no Centro de Informações Turísticas na Praça Afonso Pena.

Vindo de encontro a todos estes fatos, é de relevância salientar, a graduação neste ano das primeiras turmas do curso de turismo de duas renomadas e capacitadas universidades da cidade, Unip e Univap. Logo teremos pessoas do ramo para trabalhar, que conhecem todo o 'sistema turismo', sem necessitar importar tantos profissionais de outras áreas. Importante ainda destacar, as excelentes escolas técnicas Cephas e Senac formando quadros de profissionais à disposição do mercado.

O turismo já acontece em nossa cidade, é forte e importante para São José dos Campos. A cidade do avião, do satélite, do automóvel, do telefone, da qualidade de vida, é também do turismo.

A cidade tem um Conselho Municipal de Turismo representativo e estruturado nos mais diversos segmentos, composto de importantes formadores de opinião, sendo a voz da sociedade norteando a política e diretrizes do turismo. O turismo deve ser regulado por quem vivencia a lei natural do mercado, a iniciativa privada. Cabe ao poder público a promoção institucional da localidade e regras claras para uma competição sadia no mercado. Os maiores exemplos de políticas públicas que são mostradas no Brasil desvendam o modelo tríade: a voz da sociedade do segmento discutindo os rumos e tendências, as universidades e escolas técnicas capacitando, pesquisando e estudando soluções e o poder público regendo e coordenando a
promoção do município. Tente perceber os estrangeiros que esbarramos pela cidade, os novos serviços
surgidos e continuemos com toda a típica cordialidade brasileira que nos orgulhamos, a olhar criticamente de como podemos melhorar a nossa volta, para transformarmos também, a nossa cidade nacionalmente reconhecida como acolhedora, charmosa e receptiva.

Autor:
Flávio de Faria Alvim
Administrador de Empresas e Professor de Turismo
Urbanova - São José dos Campos
 

Voltar