A Importância da Regulamentação da Profissão de Turismo - Dez/04

Voltar

O turismo sem dúvida é uma das profissões mais promissoras no cenário econômico nacional, se for bem trabalhada essa atividade ajudará cidades (destinos) a angariar divisas e se projetar no exterior e também dentro de seu próprio país, mas isso poderia ser dado mais atenção como reconhecimento de profissionais capacitados, os turismólogos. O reconhecimento desta profissão seria de fundamental importância neste contexto social. Existem alguns pontos que dificultam esta regulamentação entre eles: entidades governamentais ligadas ao turismo, como a Embratur, que foi criada em 1966 para levar a imagem do Brasil para o exterior, mas com o regime militar em 64 houve uma exposição errada do país como um ideal de erotismo, exótico, carnavalesco aonde a receptividade vai além da hospitalidade feminina, há alguns profissionais e estudiosos que afirmam que esta regulamentação irá restringir sua profissão, existe também uma disputa política para pleitear cargos turísticos no exterior como representação diplomática e há um beneficiamento para alguns Estados. Sabe-se que há uma deliberação normativa n°390/98 da Embratur onde explica que todo e qualquer recursos do Fungetur – Fundo Geral de Turismo – só será liberado mediante um parecer técnico com a assinatura de um turismólogo além de que esta deliberativa também recomenda a admissão de turismólogos em cargos públicos como prefeituras. Para que esta profissão seja reconhecida deve-se entender que o sistema capitalista se alimenta em virtude de movimentações de classes sociais (viagem) e esses profissionais devem requerer esta força de trabalho e ter a barganha do jogo político e estar aliado a um sindicato forte e sólido, fazer uma corrente entre docentes e acadêmicos para que em todos os eventos universitários seja abordado o tema de reconhecimento da profissão, exigir uma posição do ministro de turismo sobre esta regulamentação, utilizar como meio de comunicação virtual, como um site, por exemplo, para divulgar informativos para todos os profissionais, e integrar os profissionais em uma associação de bacharéis e todo projeto onde há a necessidade de recursos federais deve-se passar pelo Ministério de Turismo.

A maior contribuição para a sociedade num todo, é a integração entre turistas e a população autóctone, a elaboração de projetos completos e coerentes, o reconhecimento e a valorização da profissão com salários e cargos condizentes com sua capacidade, o maior reconhecimento e divulgação de cidades em âmbito nacional e internacional e como conseqüência a divulgação do país.

Autor: Henrique Paraguassu

Voltar