Artigos

O futuro do Turismo bate à porta - Jul/05

Voltar

O momento em que o mundo vive é de insegurança, causada pela incerteza de paz entre as grandes potencias e os pequenos países do Oriente Médio, a insegurança política instaurada em alguns países da América do Sul, como a Venezuela, após a eleição de Hugo Chavez, as ameaças de atentados que assolam alguns países Europeus e Árabes e como se não bastasse a natureza está cobrando a humanidade de uma forma devastadora com terremotos, furacões, tsunamis entre outros eventos de magnitudes plinianas.

Com todo esse cenário o turismo acaba se tornando uma atividade de risco em algumas regiões do mundo. Essa é a hora em se deve investir no turismo brasileiro, país que não se encontra em nenhuma disputa bélica e tão pouco assolado pelas forças devastadoras da natureza.

O presidente eleito vê no turismo uma alternativa para alavancar a economia interna e o reconhecimento externo do país, logo nos primeiros meses de mandato cria o Ministério do Turismo, que antes era agregado ao de Esportes e reinventa a Embratur (Empresa Brasileira de Turismo), deixando na alçada da mesma o papel de realizar a promoção, divulgação e apoio a serviços turísticos brasileiros no exterior.

Ainda em 2003 mais precisamente no dia 29 de Abril, é anunciado o lançamento do Plano Nacional de Turismo, criando e organizando metas para o desenvolvimento do turismo no país. Em 2004 foi levada a cabo a implantação do Plano Aquarela, projeto pioneiro que trabalha baseado no desenvolvimento e aperfeiçoamento do marketing internacional. Este projeto deve identificar os 130 roteiros turísticos potenciais no Brasil para comercializá-los no exterior, inserindo o país entre os 20 maiores destinos turísticos do planeta.

Como apoio ao Plano Aquarela foram implantados em alguns países como Alemanha, Inglaterra, Portugal entre outros, os EBT’s (Escritórios Brasileiros de Turismo), que já estão em funcionamento e trabalhando em prol do desenvolvimento turístico.
Toda essa mobilização e avanço, segundo o ministro do turismo Walfrido dos Mares Guia, é para “tornar o Brasil um país da moda”, que para auxiliá-lo contratou uma empresa de consultoria especializada em turismo a Joseph Chias (empresa que realizou o bem sucedido plano de turismo na Espanha).

O avanço não para por aí, para o ano de 2005 estão previstos como verba para a promoção R$173 milhões de reais, sendo que R$56 milhões para a promoção interna e R$117 milhões para a divulgação no exterior. Todos os demonstrativos apresentam um significativo aumento da atividade turística no Brasil.

Portanto empreendedores, investidores e turismólogos encarem que o tão esperado futuro do turismo chegou.

Autor: Fábio Crespan Traghetta e Nadyéggi Tenca da Silva
Acedêmicos do curso de turismo do UnicenP (Centro Universitário Positivo) em Curitiba.

 

 

Mande o seu artigo também, clicando na cartinha 
ao lado, e promova seu trabalho expondo-o aqui!

Voltar