Turismo como fator de crescimento e desenvolvimento do município - Jun/03

Voltar

Este artigo foi elaborado para demonstrar a capacidade que o Turismo tem de melhorar e desenvolver economicamente e socialmente um município não explorado ou pouco explorado turisticamente.

A atividade turística nos últimos anos tem sido de extrema importância no que diz respeito ao desenvolvimento e crescimento da economia mundial. O Turismo detem hoje grande parte do PIB de muitos países que têm melhorado suas condições econômicas em decorrência do avanço que o setor tem proporcionado.

Em países como a França, que de acordo com a EMBRATUR se encontra na primeira posição dos países mais visitados do mundo, de 1985 a 1998 (último ano encontrado) o fluxo de turistas cresceu de 36.748 milhões para 70 milhões, gerando assim um aumento das divisas internas do país. Num país como o México, considerado em desenvolvimento, o Turismo também proporcionou um aumento nas receitas, pois recebia em média 4.207 milhões de visitantes passando a receber 19.300 milhões no mesmo período.

No Brasil, o setor representou 2,55% do PIB nacional no ano de 1989, segundo a EMBRATUR, e entre os anos de 1987 a 1995 o PIB turístico passou de R$38,7 bilhões para R$52,7 bilhões, gerando um crescimento de 36% em menos de dez anos. Isto vem provar como a atividade turística é importante para contribuir na melhoria da qualidade de vida da população e prosperidade da economia brasileira, uma vez que o Turismo tem aumentado o ingresso de divisas no país de maneira considerável. Em 2001 o número foi de US$4,23 bilhões.

Muitas das cidades brasileiras têm como fatores de produção econômica a agricultura, pecuária, indústria, comércio entre outros. Porém hoje, têm aberto suas portas para um novo setor, o Turismo, que tem no município o cenário de produção e de consumo. A atividade turística pode constituir um investimento inicial gerador do processo ramificador da economia local, e por extensão, regional. É com esta idéia que, investir no Turismo pode ser uma alternativa positiva para os municípios que buscam saída para complementar sua economia e fazer com que haja um maior desenvolvimento da cidade.

Num município, não explorado turisticamente, pode ser feito um planejamento com especialistas sobre o que poderia ser implantado na cidade, usando dos potencias já existentes como rios, lagos, serras, morros, cachoeiras, prédios históricos, igrejas, artefatos locais, cultura, gastronomia; ou verificando as possibilidades de se criar atrativos artificiais como parques, trilhas, festas culturais e gastronômicas. Para a concretização do planejamento dos possíveis atrativos, a participação do governo municipal é fundamental, uma vez que este será o responsável pela infraestrutura básica necessária para o desenvolvimento do plano, além dos subsídios para que a população se envolva no projeto com a instalação de hotéis, restaurantes, revitalização do comércio, entretenimentos e que possam participar de treinamentos para uma boa recepção dos futuros visitantes.

O impacto resultante deste tipo de produção é menos imediato do que a indústria tradicional, por exemplo. Tem, entretanto, a vantagem de consolidar uma estrutura econômica sólida, se for mantida viável, através da preservação do que for implantado. A longo prazo, os benefícios trazidos pelo Turismo na cidade serão muitos, tanto sociais como econômicos. A participação da comunidade durante o processo direta ou indiretamente, cuidando da limpeza de sua rua, da fachada da casa, arborização, colaborará para que estes benefícios sejam ainda maiores.

Com o sucesso da realização do planejamento, as vantagens se refletem das mais variadas formas. O emprego de mão-de-obra em geral ocupada na produção de bens e serviços aumentará consideravelmente, fazendo crescer a rentabilidade de famílias de menor poder aquisitivo. A necessidade de mão-de-obra especializada, com a prestação de serviços diretos ao consumidor como guias, recepcionistas, recreacionistas, etc, incentivará a população local a se profissionalizar. Com a movimentação dos turistas, o setor gastronômico, como restaurantes e lanchonetes terão a oportunidade de expandir seus empreendimentos e trará a possibilidade da criação de novos estabelecimentos. Além disso, o transporte coletivo deverá se modernizar o que favorecerá não só os visitantes, mas também os próprios moradores. Com a implantação e aperfeiçoamento do setor hoteleiro, haverá a geração de empregos e a movimentação do comércio devido aos produtos que os hotéis precisarão para atender aos hóspedes além do movimento decorrente dos turistas que circularão pela cidade em busca de presentes, lembranças, artesanatos entre outras curiosidades. A inauguração de novos entretenimentos, que são essenciais para preencher a estada do turista na cidade, beneficiará também a população local. A concorrência que se estabelecerá entre as empresas será benéfica, pois o aumento da produção de bens e serviços estimulará a competitividade entre os elementos da oferta, melhorando a qualidade dos serviços.

Como todas as áreas da economia, o Turismo também possui desvantagens e riscos. O setor exige grandes investimentos de capital, principalmente em sua fase inicial de implantação e o processo se mostra lento até atingir o mercado consumidor. O mau uso do Turismo na cidade, originado da falta de informação e conhecimento das peculiaridades de sua produção representam desvantagens que impedirão a atividade de se desenvolver de forma bem sucedida. Com a valorização dos espaços físicos que poderão se tornar futuros atrativos, o setor imobiliário pode agir de forma desenfreada, supervalorizando o espaço, tornando-o inviável pelos altos custos. O desequilíbrio ambiental como poluição atmosférica além do desgaste dos atrativos, pode causar grandes malefícios à própria população, criando situações complicadas até mesmo à saúde e causando a perda do que já foi implantado.

Portanto, a participação da comunidade na realização da obra turística na localidade é de extrema importância. Se todos colaboram, estes riscos se tornam menores, pois cada um ajuda a cuidar daquilo que trará seu próprio benefício, como exemplo, ajudando a preservar os atrativos, não quebrando, pichando, e não deixando que outros venham a cometer tal destruição. E mesmo que os riscos e desvantagens existam, os benefícios trazidos ao município se sobressairão diante dos pontos negativos se administrados de forma correta e eficaz, diminuindo o desemprego já que muitos empreendimentos serão inaugurados, com isso reduzirá também a criminalidade e violência, pois muitos se ocuparão de forma digna nas novas atividades turísticas, além de aumentar a entrada de dinheiro na cidade, maior arrecadação de tributos por parte do governo, o aumento da renda familiar fará com que as pessoas consumam mais movimentando todos os setores da economia local.

Fazendo uma análise entre duas regiões brasileiras, o litoral nordestino e a região central do Paraná, observa-se que o litoral nordestino que há pouco tempo atrás era uma área não explorada turisticamente, passou a ser um pólo receptivo de turistas nacionais e internacionais, transformando a região num centro turístico, onde há infra-estrutura hoteleira de todas as categorias, além da gastronomia típica que é explorada, a criação de entretenimentos diversos antes não existentes, destacando a região no cenário turístico nacional que tem crescido e se desenvolvido cada vez mais economicamente e socialmente frente a outras regiões do Brasil. Já a região central do Paraná, considerada ainda uma área não explorada, poderia utilizar o setor turístico da mesma forma feita pelo nordeste para promover, crescer e desenvolver a região que hoje apresenta uma economia fraca em quase todos os setores. Pode-se aproveitar os potencias naturais que a região já possui, como fazendas, cachoeiras, rios, lagos, morros, implantando o Turismo Rural, Ecoturismo, Turismo de Aventura, e também aproveitar a gastronomia e cultura da região, criando festas típicas como as feitas na Costa Oeste do estado, que geram lucros e divulgam as cidades, ou ainda instalar atrativos artificiais que motivem a vinda de visitantes, movimentando assim o centro paranaense.

Frente a todas as potencialidades apresentadas acima, as inúmeras vantagens sócio-econômicas e culturais além de outras que o Turismo pode proporcionar a todos os agentes econômicos envolvidos, acredita-se que nos municípios, a atividade turística se caracteriza como um fator que contribuirá para a melhoria do nível e da qualidade de vida da população e para a prosperidade das empresas e economia local.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

* BISSOLI, Maria Angela Marques Ambrizi. Planejamento Turístico Municipal com suporte em Sistemas de Informação. São Paulo. Editora Futura: 2001 - páginas 33-38
* FELLINI, Lourdes. Turismo uma atividade Municipal. Porto Alegre. Editora EST: 1983 - páginas 11-41
* RODRIGUES, Adyr Balastreri. Turismo Desenvolvimento Local. São Paulo. Editora Hucitec: 2002 - páginas 17-55
* EMBRATUR. Principais Países Receptores de Turistas. www.embratur.gov.br (19-02-2003)

Autoras:
Larissa Reynaldes Dias e Rebecca Bonomo Montanheiro

Acadêmicas de Turismo da Universidade Estadual do oeste do Parana-UNIOESTE

 

 

Mande o seu artigo também, clicando na cartinha 
ao lado, e promova seu trabalho expondo-o aqui!

Voltar