O Capital Intelectual do Turismo - Abr/04

Voltar

Abandonando convenções de antigos ideais que ditavam as regras na vida e na profissão das pessoas, a sociedade pós-moderna vem ressaltando novos valores e critérios para a eliminação de clichês conservadores e para a integração de habilidades que possam reinventar as formas de organização, trabalho, fomentação da qualidade de vida e das relações interpessoais, abraçando por unanimidade, expectativas e transformações profundas de um século fundamentado na tecnologia, no conhecimento e na comunicação.

Na competitividade dos diversos cenários profissionais, o “ouro” agora está dentro da cabeça das pessoas. Valores empíricos, criatividade, capacidade de crítica e análise, inteligência, e até mesmo a intuição, são os novos elementos que identificam e diferenciam o perfil dos que querem incorporar-se na gestão do conhecimento - na gestão do uso do Capital Intelectual 1.

Atentos a todos esses novos conceitos e ferramentas que são requisitados, devem estar os estudantes e profissionais do turismo, pois a competitividade dessas mudanças vem a delinear um perfil mais expressivo da atividade turística. Precisamos nos identificar como agentes de mudança, aqueles que com talento e inquietação, interagem junto aos riscos e obstáculos para concretizar aspirações e planos dentro do turismo. Coordenar comportamentos, motivações e desejos de forma inovadora e polivalente é uma habilidade característica de quem realmente está sensível às variáveis mercadológicas fora e dentro do controle do turismo.

Toda a estrutura do mercado turístico vem claramente acentuando-se no que tange a participação do consumidor, na busca de qualificação dos bens e serviços oferecidos, na criação de novos produtos turísticos. E nessas condições, o papel dos gestores do turismo é o de garantir que todas as propostas e tendências (que venham a beneficiar toda essa estrutura e diminuir os impactos criados pela mesma), estejam vinculadas aos profissionais que assumem pensamentos originais, que estrategicamente buscam diferenciais, e que saibam interligar inteligência e futuro no mesmo bojo. Continua...

Referências
ANSARAH, Marília Gomes dos Reis. Formação e Capacitação do Profissional Em Turismo e Hotelaria: reflexões e cadastro das instituições educacionais no Brasil. São Paulo, ALEPH, 2002. – (Série turismo).
COOPER, Chris. et al. 2. ed. Trad. Roberto Cataldo Costa. Turismo, princípios e práticas. Porto Alegre, Bookman, 2001. p. 481-496.
COLOMBINI, Luis. Entenda o que é gestão do conhecimento. Você s.a, São Paulo, n. 5, p. 18-19, nov. 1998.
MONTEJANO, Jordi Montaner. Estrutura do mercado turístico. 2. ed. São Paulo, Roca, 2001. p. 116-118.


Autor:
José Raimundo Muniz Júnior
Aluno do Curso de Turismo da Faculdade Atenas Maranhense – FAMA

 

 

Mande o seu artigo também, clicando na cartinha 
ao lado, e promova seu trabalho expondo-o aqui!

Voltar