Compare Produtos, Lojas e Preços
Dicas de Viagem

Santiago de Compostela - Espanha

Voltar

"Você não pode seguir o caminho antes de ter se tornado o próprio caminho" - Buda
 

Apesar de Sirdatha Gautama, o Buda, ser difusor de uma religião oriental diferente dos preceitos cristãos que consagraram o Caminho de Santiago,a fé acima de todos os dogmas, une as religiões. E o verdadeiro caminho está na vida feita de fé.

Fé e caminho são idéias unidas no ato de peregrinar.O Caminho de Santiago,uma das mais antigas rotas de peregrinação conhecidas, é feito no norte da Espanha, numa viagem de quase 700 quilômetros que começa na fronteira da França e culmina na cidade de Santiago de Compostela. Ali, na bela e antiga catedral, está o túmulo de Tiago, um dos apóstolos de Cristo, padroeiro da Espanha e primeiro mensageiro do cristianismo naquele canto da Europa. 

Para os peregrinos que, simbolicamente, já refizeram as andanças espanholas de Tiago, a idéia budista de caminho se completa em si mesma. Não é possível seguir o Caminho de Santiago antes de ter se tornado parte dele. Mais importante que chegar a algum lugar é simplesmente estar no caminho. A receita, para isso,é fazê-lo com fé. Peregrinar, para estas pessoas, é caminhar numa única direção:o Deus que vive dentro delas e em cada um de nós.

O Caminho de Santiago pode ser resumido de várias maneiras. Como uma longa trilha que desafia tarimbados caminhantes. Ou uma viagem pelos interiores de uma Europa primitiva, de hábitos camponeses e religiosos, onde o tempo parece estacionado na Idade Média. O Caminho pode ser entendido ainda como uma peregrinação mística em busca de autoconhecimento. É também uma jornada entre belos monumentos arquitetônicos, que variam dos estilos românico e gótico até Gaudí, o famoso arquiteto espanhol que concebeu um palácio na cidade de Astorga.No fundo, o Caminho de Santiago agrega todos estes conceitos e mais, transformados e glorificados numa recriação simbólica da passagem do apóstolo Tiago pelo norte da Espanha na época Cristã.

Um pouco da Lenda

De acordo com as precárias narrações dos primórdios do cristianismo, foram estas terras que Tiago escolheu para levar a mensagem de Cristo logo depois de sua morte, em Jerusalém. Tiago, irmão de São João Evangelista, teria chegado à Ibéria, uma província do Império Romano, e ficado ali por cinco ou seis anos.Tiago pregou do litoral ao interior  e, de volta à Palestina foi decapitado em Cesaréia, nas mãos do rei judaico Herodes Agripa, que proibiu até mesmo que ele fosse enterrado. Seus restos foram lançados fora dos muros da cidade. Mas, pouco antes de morrer, Tiago pediu a dois de seus discípulos, Atanásio e Teodoro, que seu corpo fosse levado de volta à Ibéria.Seus restos assim, teriam sido depositados em uma tumba de mármore e levados num barco até a cidade de Iria Flavia- hoje Padrón, às margens do rio Ulla. A viagem seguiu por terra até um bosque chamado Libredón, onde ele teria sido enterrado em 44 d.c.Esquecido durante séculos, em 813 um eremita de nome Pelayo, segundo a lenda sendo guiado por uma chuva de estrelas, chegou ao bosque de Libredón. No ponto exato onde as estrelas caíram estava enterrado o corpo do apóstolo.Um rei espanhol mandou construir no lugar uma capela de pedras e um monastério. Assim nascia o mito de São Tiago e de uma das mais famosas rotas de peregrinação.



Compare Produtos, Lojas e Preços





 



Para visitar a tumba, pessoas partiam numa jornada cheia de perigos que aos poucos acabou sendo denominada do Caminho de São Tiago do Campo das Estrelas,numa referência as luzes de Pelayo. Ao redor do túmulo cresceu a cidade de Santiago de Compostela.

O Caminho

Do país Basco à Galícia, o Caminho de Santiago revela faces diversas faces da Espanha.O caminho mais comum é seguido de acordo com o bispo Gotescaldo, de Le Puy, saiu a cavalo dali para visitar o túmulo do santo.O início da caminhada está em Le Puy, sul da França cuja distância até Santiago de Compostela é de 1600 Km.No final do século 11, quatro cidades ficaram conhecidas como tradicionais como partida: Le Puy, Paris, Arles e Vezenay. Em 1135, Aimeric icaud, concebeu o chamado Codex Calixtinus, um guia da viagem que divide a peregrinação a Santiago de Compostela em treze escalas principais. A partir daí, o Caminho de Santiago ganha seu primeiro contorno místico, a viagem passa a ser em terra o desenho da Via-Láctea.Para os peregrinos, basta seguir o traçado das estrelas para chegar a Santiago de Compostela.

Há alguns outros caminhos alternativos, como o que corre pela costa do Mar Cantárbico ou os que vem de Portugal, mas o mais tradicional é a rota Francesa.
Jeanne Debrill, responsável pelo Centro de Estudos Compostelanos, entidade que estuda e divulga os valores culturais e espirituais da viagem e foi fundada em 1951 para comemorar os mil anos da pioneira peregrinação do bispo de Le Puy.Madame Debrill é uma espécie de guardiã do caminho.Cabe a ela fornecer a chamada credencial do peregrino, um documento que oficializa a condição do viajante que faz o caminho a pé, a cavalo ou de bicicleta e permite ele dormir e comer de graça ou a preços simbólicos, nos diversos refúgios do roteiro.

A Espanha é um país dividido em cinqüenta províncias que, agrupadas entre si formam onze regiões.

Os dez mandamentos do peregrino

1

O peregrino caminha o quanto pode,não o quanto quer. Faça o caminho no seu ritmo sem pressa.

2

A mochila de um peregrino deve pesar no máximo 9 quilos. Se aquilo que você considera indispensável pesa demais, então isto não é indispensável.

3

Coma bem no café da manhã e saia para caminhar com algum alimento na mochila.A refeição mais consistente do dia é o jantar. E mantenha o cantil abastecido.

4

Previna-se e cuide dos males inevitáveis de um caminhante. Uma bolha no pé pode por tudo a perder ou retardar muito sua caminhada.

5

Confie na sinalização das setas amarelas e das placas e monumentos marcados com a concha vieira. Os guias do caminho falham em alguns momentos na indicação da rota.

6

Não perca a missa dos peregrinos. Na Colegiata de Roncesvalles, ela acontece às 20 horas. Na Catedral de Santiago, ao meio dia.

7

Prefira levar cheques de viagem a dinheiro. Há muitos bancos no caminho onde você poderá trocar por pessetas , a moeda espanhola

8

Não estranhe ou renegue nenhum dos encontros, diálogos e experiências vividas durante a jornada,seja com peregrinos ou com os habitantes da região.

9

Saia do Brasil já com a credencial de peregrino. Ela é a garantia de uma passagem tranqüila pela alfândega espanhola e de hospedagem nos refúgios.

10

Caminhe com fé. Sempre!

Com um território menor que o Estado da Bahia, a Espanha é um país dividido em cinqüenta províncias que, agrupadas entre si, formam onze regiões,ou comunidades, onde se concentram diferentes etnias, com língua e cultura próprias e um certo grau de autonomia política.O Caminho de Santiago começa no país Basco e termina na Galícia,duas das mais peculiares dessas regiões espanholas.

São dois mundos distintos apesar da beleza da paisagem e a  sempre generosa acolhida do povo espanhol.A Galícia mostra uma Espanha camponesa e tranquila, verde e agrícola, que avança até a costa do Atlântico.Tais diferenças demonstram uma outra característica do caminho: a diversidade cultural. Muda a arquitetura das casas, dos costumes e da língua.

Segundo o padre Javier Navarro,61 anos acolhendo e abençoando os peregrinos num antigo refúgio-igreja isolado nos Montes Pirineus, o Caminho de Santiago também tem a missão de unir o povo Espanhol apesar das diferenças.

O Caminho de um Peregrino

O Caminho de um peregrino parece monótono e metódico, acorda cedo,antes do sol,toma um bom café da manhã e sai a caminhar com sua mochila nas costas. O Caminho não é linear, passa por diversos terrenos, cruza pastagens e lavouras, estradas pavimentadas e trilhas abertas no meio do caminho. Parece complicado , mas é muito difícil se perder pois por todos os lados existem pistas e sinais, marcos e setas amarelas pintadas que orientam o peregrino.O almoço se resume a uma parada embaixo de uma árvore depois de um descanso,retoma-se o passo até o refúgio programado para aquele dia..Á noite, os peregrinos se reunem para conversar sobre as experiências do dia.

O trecho que corresponde à metade do caminho é um dos maiores desafios para o peregrino, fica entre as cidades de Logroño e Léon, onde a Espanha ainda é árida,com uma paisagem de pouca variação,de campos ocupados por vinhas e pastagens para rebanhos e carneiros.Há trechos de relevo bastante acidentado com nas regiões dos Montes de Oca. Em compensação é um momento do caminho exepcionalmente rico em heranças da história espanhola com belas igrejas medievais. Outra parada é na cidade de Burgos, dona de uma fantástica catedral gótica.Nesta metade da jornada, o peregrino testa seus limites. Ele já nçao tem a euforia do início da viagem,nos Pirineus, e nem vive a ânsia de chegar a Santiago,ainda distante. "A vida é como este caminho, há momentos fáceis e outros difíceis.É preciso ter paciência e esperar a hora certa para sempre seguir feliz" , diz a francesa Yolanda Loggia,59 anos que foi buscar o equilíbrio depois da morte do marido nas peregrinações.

A Igreja Católica é, naturalmente uma das anfitriãs da peregrinação, mas, com o tempo, o Caminho de Santiago assimilou o sincretismo de outras seitas e crenças.Mesmo o peregrino autêntico hoje,inspirado pelos passos do apóstolo Tiago, acaba suscetível a outras influências místicas e espirituais da viagem."O Caminho é uma experiência superior, além das religiões,que reafirma a cada pessoa o seu verdadeiro caminho:filho de Deus" profetiza Tomáz Martinez,integrante da enigmática Ordem dos Templários, grupo militar e religioso criado em Jerusalém, em 1119, com o objetivo de proteger peregrinos cristãos.

Santiago de Compostela

É uma cidade de movimento incessante, por causa dos muitos visitantes e da vida agitada dos jovens de toda a Galícia que enchem a universidade local.Tudo gira em torno da mítica Praça do Obradoiro, verdadeira clareira entre duas ruelas do centro histórico e onde se concentram as três principais contruções da cidade: A Catedral de Santiago, o Palácio do Ayuntamento e o antigo Hospital de Los Reyes Católicos, um hospital de peregrinos hoje convertido num suntuoso hotel de luxo mantido pelo governo espanhol.

A reação dos peregrinos ao chegar à praça é imprevisível: alguns choram ,outros admiram sua beleza, e há aqueles que, além de todas as experiências vividas concluem que acima de tudo o mais importante é simplesmente estar no caminho.

Talvez eles tenham se tornado parte do caminho como a idéia budista do início do texto."Há muitos caminhos.Cada pessoa tem uma perspectiva diferente do caminho.As experiências divergem,depende também da sensibilidade de cada um.
Pode ser uma incrível aventura, a mais incrível peregrinação cristã, uma jornada mística.Mais que tudo porém, o Caminho de Santiago é um grande mistério, só caminhando para compreender!

A Catedral de Santiago de Compostela 
foi construída entre os séculos  11  e 12, 
sobre  o  local  de  uma  basílica erguida 
pelo rei Afonso II no século 9. Desde es-
ta época a vida da cidade,que hoje  tem 
cerca de 100 mil habitantes  gira em torno  desta majestosa homenagem a São 
Tiago.

Mais Fotos:
- Foto 1  - Foto 2

Para conhecer mais:

  • O Diário de um Mago - Paulo Coelho

  • A Magia do Caminho Real - Anna Sharp

  • Guia del Peregrino -Editora Everest

  • O Estranho Caminho de Santiago - filme do cineasta espanhol Luis Buñuel

  • Associação de Amigos do Caminho de Santiago de Compostela- emite a credencial do peregrino e presta informações fone- XX(11)- 6959-6107

Reportagem: Dagmar Sodré Nunes

Voltar