Indignação ao acontecimento em Viracopos - Mai/03

Voltar

Para entender a crítica feita abaixo, sugerimos a leitura do relato: Desrespeito e mau atendimento na TAM de Viracopos feito por Ana Y.C.P. Soares a alguns meses atrás.  Segue a crítica...

Essa mensagem é direcionada para a senhora Ana Y.C.P Soares, por expor seu acontecimento, segundo ela desrespeitoso da funcionaria da Tam. Queria expor a minha indignação pois pelo relato da mesma a funcionaria lhes havia explicado que somente com a certidão de nascimento original ou uma copia autenticada poderiam viajar. Isso e uma "REGRA" da IATA e não pode ser mudada.. E de total responsabilidade do passageiro prover os documentos necessários para sua viajem, excluindo a transportadora de qualquer responsabilidade .( e isso esta escrito no seu bilhete de passagem).Gostaria também de ressaltar que sou funcionaria da Varig e que com certeza isso não aconteceria na Varig pois nosso atendimento visa sempre o bem estar do funcionário.,mas nessa ocasião me senti lesada pelas palavras da senhora Ana ,uma pessoa que realmente não sabe seus direitos e obrigações.

Gostaria de ressaltar que para ser uma funcionaria Varig precisamos estudar bastantes os códigos e regulamentações, por isso antes de falar a Senhora Ana deveria também pensar que a Tam não e uma mãe, e sim uma transportadora aérea!!!

O problema dos passageiros sem informação como a senhora Ana e que causam um desconforto para a atendente e para os passageiros ao seu redor..

Da próxima vez que viaje, viaje com a Varig, mas não pense que seremos suas babas....pense em ser um passageiro responsável e respeitador porque toda ação que uma pessoa oferece a outra será recebida da mesma maneira...e nunca se esqueça, as companhias aéreas Brasileiras são serias e não estamos aqui para abrir exceções para ninguém. E por isso que o Brasil esta desse jeito....(cheio de pessoas como você que querem exceções).

Por: Ellen
Agente de atendimento Varig

A Revista Turismo entrou em contato com a Ana para que ele fizesse sua defesa. 
A resposta à crítica está abaixo.

Retorno agora para contar o desfecho da história...

Há um ano, após várias tentativas em vão, consegui finalmente enviar uma carta registrada ao "Fale com o Presidente" da TAM. Simultaneamente, o jornal O Estado de S.Paulo encaminhou a reclamação anteriormente relatada.

Pouco tempo depois, fui procurada pela companhia TAM, que deu-me toda a razão, em relação ao incidente! Recebi cartas de desculpas da TAM e a companhia aérea reembolsou parte de nossos danos financeiros e despesas extras, como o lanche no aeroporto, através de trechos de viagem!

(Claro que os danos morais não serão jamais cobertos...)

Agora, me diga, Sra. Ellen: "aonde é que está escrito no bilhete de passagem que os documentos dos passageiros têm de ser originais? E aonde é que consta que só vale certidão de nascimento? Passaporte, carteiras de saúde, carteiras de estudante... nada disso é documento?

Sugiro às companhias aéreas uma revisão e atualização na redação dos bilhetes de passagens (bem como um aumento no corpo das letras!) e que a Sra. Ellen se acalme, pois só uma pessoa equilibrada e educada pode dedicar-se ao atendimento de público, seja real ou virtual!!! Obrigada.

Ana Y.C.P. Soares
Campinas (SP)

 

 

Mande o seu diário também, clicando na cartinha ao 
lado, e conte para outros internautas como foi a sua viagem